TESTEMUNHOS DOS PARTICIPANTES

MÁRCIA REIS
Cada vez que olho por cima do ombro para tudo o que vai lá atrás, começo a pensar… A pensar no que perdia, não fosse eu capaz de desafiar-me a mim própria.
A tribo, foi mais uma prova! Lá cresci. Cresci como pessoa. Desenvolvi capacidades e sobretudo, aprendi a ser mais livre. Livre de mim própria. Permitiu-me abrir portas, que nem sabia poderem existir. Sair pela janela e pular. Gritar. Saltar. Voar. Escrever. Fechar os olhos. Sorrir. Abraçar. Amar. Partilhar. Viajar… sei lá, tanta coisa boa! Experiências únicas, que me influenciaram por um lado positivo de tal modo, que me levou a mudar parte da forma de como levava a vida! Viver em grupo. Fazer parte da uma base sólida para um espectáculo enraizado desde o mais fundo de cada coração.
É certo, sextas feiras, são sem dúvida dos dias mais cansativos da semana. No entanto, ali, tudo se torna diferente. E não passa despercebido ao rosto de ninguém, a felicidade que é representar e fazer parte de uma segunda família! Ali, não sei… conheci uma nova versão de mim mesma. Ou melhor… soltei parte de mim que se afugentava perante a luz do dia!

26.05.2014



TIAGO PEREIRA
A minha entrada para A Tribo foi muito repentina. (…) Quantas mais vezes eu ia aos ensaios, melhor me sentia com as pessoas que me rodeavam, estava a adorar estar ali, e ali eu podia encontrar o tal amor e carinho de que eles tanto falavam. (…) As pessoas d’A Tribo (e não só...) puderam finalmente conhecer o meu verdadeiro eu. Praticamente todas as semanas a minha família comentava que eu andava mais feliz, mas eu negava apesar de saber que era verdade. Passaram-se meses e chegámos ao dia do Espectáculo. Foi nesse dia que eu finalmente percebi, o que tinha feito naqueles meses todos para trás: ganhei o meu pequeno império de amizades criado a partir da sexta-feira em que decidi entrar para este pequeno mas grande grupo. Quero agradecer a este povo maravilhoso, por me ter ajudado a libertar tudo o que eu tinha dentro de mim, por aprender que não é o tamanho de algo que condiciona a sua força, por me ajudar a sair da minha zona de conforto, por me ajudar a tornar os dias maus num sorrisos verdadeiros, por me ensinar que o amor é muito mais que uma palavra, e que os sonhos são para devorar, e que cabem dentro de nós. 
06.11.2014


JOSÉ TOMAZ
A TRIBO é um grupo de teatro, muito enriquecedor e confortável nas nossas sextas-feiras “santas” pois permite-nos reflectir, espairecer e experimentar diversas vertentes artísticas, somos nós próprios e ao mesmo tempo transmitimos conhecimentos, brincadeiras, e fazemos amizades. Esta construção de teatro com bocados de cada um permite-nos ter uma maior intimidade para com o público e entre nós próprios, e com o próprio espectáculo. A experiência de estar em palco com pedaços nossos dá-nos uma confiança e segurança extremamente positiva. Esta sensação de pertencer a um grupo, a uma família faz de nós artistas e pessoas com uma visão diferente de um contexto por vezes estandardizado.
28.05.2014


BIANCA TOLEDO 

Esta é uma viagem só com bilhete de ida, é daquelas viagens que não sabemos quando termina, mas também não estamos preocupados, nem a pensar no seu fim, deixa-mo-nos levar pela magia dos momentos. É uma viagem de aprendizagens e de enriquecimento pessoal e colectivo.
É uma caminhada longa, cheia de trabalho, esforço, dedicação, muita concentração e força de vontade. Na TRIBO produzimos magia, produzimos amor e arte. 
Quando a mim, sinto me muito orgulhosa de poder fazer parte deste grupo, poder contribuir para o nascimento da arte e poder distribuir felicidade nos corações de cada um dos elementos deste grande grupo. A TRIBO despertou em mim um lado desconhecido, um lado mais leve, com menos preocupações, com mais responsabilidades. 
Foi também com A TRIBO que eu descobri o sentido da palavra liberdade: sim, eu na tribo sou eu mesma, eu sou livre, eu ando com os pés descalços.
15.05.2015